Arquivo de sexo na cidade

As Aventuras Amorosas de Luís Pi Capítulo V

Posted in contos eróticos with tags , , , , on Julho 31, 2009 by kellystress

gbundblackh[1]CAPÍTULO V

A PERDIÇÃO DE LUIS PI

Luis pi conheceu Laura, num site de bate papos, e por ela se apaixonou muito rapidamente, Laura tinha uma pele sedosa, um sorriso lindo, uns peitos maravilhosos, era algo difícil de não se apaixonar, essa foi a  perdição de Luis Pi, mas não obstante isso foi uma que mais o marcou. Laura era estudante universitária, correspondia a luís na parte da aventura, e era tão… quanto luís pi, pareciam feitos um para o outro. Luís teve momentos marcantes com Laura, como quando luís pi tinha a chave da casa da sua tia que se encontrava fora do país e ele ficara com a chave para cuidar da casa. Luis levou Laura  a casa e vocês sabem, depois da 1 sessão, ambos tomaram banho de chuveiro e não resistiram aos seus desejos e se envolveram vezes sem conta, a boca naquilo, aquilo na boca, sexo escaldante. Laura era meio masoquista, gostava de morder o pénis de luis pi quando o chupasse, e muitas vezes gostava de apanhar pois ela gostava de ser castigada.

Outra vez, Luis e Laura, viveram uma semana como marido e mulher, pois luís estava sozinho em casa, os seus pais tinham viajado. Laura cozinhava para ele, e almoçavam lasangna e saboreando um bom vinho espumante. Depois do almoço assistiam um filme, ambos deitados no cadeirão da sala, Luis adormeceu  durante o filme, Laura deitada do seu lado somente com uma tshirt de luís pi e de cuecas, curtiam o filme, Laura notara que o seu parceiro tivera adormecido, retirou a sua cueca sem luís notar, luís que dormia sem roupa, ao acordar depois de alguns minutos, ao acariciar a sua parceira notou a ausência de uma peça de roupa de Laura, e naquela situação não havia mas nada do que saborear aquela gostosa, na mesma posição em que estavam, ele só teve de meter aquela verga grossa na sua buceta molhada, ela dobrou ligeiramente os joelhos para facilitar o processo, e aquilo foi. Depois foram para o chão, onde ele batia, puxava os seus cabelos, lhe chamava nomes pois era algos que os dois gostavam bastante.

Com Laura, luís pi explorava as suas fantasias sexuais, como o chefe que dorme com a sua empregada gostosa, como não tinham uma fantasia de empregada, então ela tirou a roupa ficou somente com uma lengerie e sapatos de salto alto vermelhos, e colocou um avental de cozinha, um improviso de momento, ela arrumava o meu quarto, enquanto ela fazia a cama de luís, ele a surpreende por traz e a seduz, tudo dentro de uma fantasia erótica entre chefe e empregada, ela estava de avental, e Luís rasgou-lhe, apertando-a contra o chão duro e frio, comecou a beijar lhe o pescoço, e foi descendo chupou-lhe a vagina como se estivesse a beber água, depois ele penetrou-a, e depois de algum tempo ambos atingiram o orgasmo…

Luis Pi viveu com Laura as melhores aventuras sexuais da sua vida, até então, mas muito tinha ele por descobrir.

Anúncios

Luís Pi – Dicas de Sobre Mulheres

Posted in contos eróticos with tags , , , , on Julho 29, 2009 by kellystress


gbundblackh[1]Luís Pi, o rei delas como era chamado, gostava das suas aventuras, e relaxado na sua cama, recorda algumas das experiências por ele vividas, eram umas melhores que outras, e essas lembranças deixavam-no excitado, ele através da sua experiência com algumas beldades, apurava o seu gosto pelas mulheres, pois conhecerá algumas mais quentes que outras e chegou a conclusão que cada mulher tinhas a sua história, pois a forma de fazer que elas se sentissem a vontade de modo a se soltarem em pleno, variava bastante.

Luís, sabia que agradar uma mulher, era uma tarefa extremamente difícil, pois o segredo estava muita das vezes em deixar que as mulheres escolhessem o local, onde se iriam sentir mais a vontade para se entregar à luís, pois muitas das vezes, as mulheres tinham dificuldades em atingir o orgasmo, não porque luís fosse mau de cama, mas havia mulheres que requeriam mais envolvimento, mais carinho, mais dedicação, pois havia mulheres que eram mais sensíveis que outras.

Luís teve mais tempo com aquelas que com ele namoraram, mas nem sempre foi fácil, pois há algumas que se fechavam bastante. E uma coisa que Luís descobrirá era o facto de as mulheres Luandenses serem muito fingidas, e que para se soltarem….seria necessário um trabalho de mestre, algo que luís fazia, mas somente com aquelas que ele achava como sendo especiais.

Luís Pi, sabia fazer o trabalho de forma a deixar as raparigas a vontade, começava mesmo quando houve-se os primeiros actos de intimidade, o truque era fazer com que elas se abrissem, falando de como gostavam de ser tratadas, como gostavam de ser penetradas, se gostavam de palavras obscenas, se gostavam de ser batidas, se gostavam com força, ou de uma forma mais suave, se eram masoquistas e por aí fora. É claro que muitas se sentiam acanhadas, outras escandalizadas, mas luís sabe que aquilo era tudo truque, pois todas mulheres para luís eram bandidas, e se não fossem tinham de o ser pois, a safadeza na relação sexual tinha um factor chave, para Luís, visto que só dessa forma seria possível explorar o acto no seu todo.

Para Luís, todas as mulheres eram quentes, mais o segredo era em como as aquecer devidamente. Mas até aquele momento, Luís Pi, tinha um fraco por mulheres cultas, vestidas com pele de cordeiro, mas autênticas lobas por baixo, e tinha os prazer de as dizer sorrateiramente que eram safadas, e elas adoravam.

Luís sabia, que era difícil agradar uma mulher, com quem tenha tido relações ocasionais, pois sabia que mulheres eram muito mais que aquilo. Mas como nem todas as mulheres faziam o seu estilo, Luís, procurava satisfazer-se a si mesmo, com aquelas relações ocasionais.

Luís sabia que muita das vezes as mulheres tinham os mesmos desejos que os homens, pois elas também se imaginavam com homens que viam, tinham fantasias constantes, de homens com elas na cama, puxando os seu cabelos, chupando os seus seios, penetrando suas vaginas molhadas, mas é claro que tinham de manter aquele perfis, a compostura, tinham de fingir.

Por isso Luís sabia, como lidar com elas, embora outros rapazes, tivessem preferência para o imediato, as mulheres da montra, de roupas curtas, e muito atiradas, pois eram mais fácies.

Luís gostava de conquista, as suas relações tinham de ser marcantes, com muita conversa, carinho, safadeza, e muito sexo, e de preferência em lugares exóticos, pois eram satisfação para ele, e também correspondia as fantasias das suas parceiras, para que elas pudessem entrar a fundo e possivelmente se ver possuída pelo deus grego chamado Luís Pi.

Este momento foi bom para luís, que sabia o que fazia, e mal sabia que uma das grandes aventuras da sua vida estava por vir:

CAPÍTULO V

A PERDIÇÃO DE LUIS PI

Não podem perder!

As Aventuras Amorosas de “Luís Pi da Maianga” Capítulo III

Posted in contos eróticos with tags , , , , on Julho 25, 2009 by kellystress

gbundblackh[1]

CAPÍTULO III

TRAÇY DOMINADA

Traçy, negra boazuda, rabo, pernas grossas e arqueadas, cintura fina, peitos bicudos, linda simplesmente linda. Colega de escola de Luis pi, mas foi fora da escola que ele a conquistou, ela passava umas férias nos arredores da maianga, na escola luís não lhe prestava atenção, mas pelo facto de viver perto de casa, fez nascer um interesse em traçy. Ela foi dura na queda, mas luís adorava o jogo duro, pois dava-lhe tusa, pois ele sabia que em pouco tempo ela estaria em seus braços. Muito rapidamente, ela entrou na sua conversa, Luis pi é um rapaz inteligente e sabia  conversar, encontrou um ponto comum com traçy onde poderiam concordar com alguma ideias, e logo já estavam no mesmo plano de pensamento. Posteriormente Luis pi começou a entrar em conversas mais íntimas, pois os seus planos começaram a aflorar uma vez que viu que traçy não era fútil e sabia conversar, agora estava na hora de dominar a fera. Luis já sabia que ela adorava o jogo duro, sendo isso um vantagem pois luís pi era rude e gostava de dominar por vezes pois sabia que ela gostava de força, pois 1 ele teria de conseguir roubar um beijo dela, coisa que conseguio com o seu exímio charme e arrogância masculina a mistura, pois, era isso que ela queria. Depois de roubar  1 beijo em pouco tempo começaram a namorar. Luis tinha agora uma outra missão provar o mel da poderosa. Luis aventureiro, um excêntrico nato, levou tracy ao seu prédio ele vivia no 2º andar, e na varanda de fora tinha uma lavandaria, luís não pensou duas vezes, apagou a luz do corredor, e agora tinha a tarefa de levar traçy para dentro pois já estava com o joãozinho turbinado. Mas tracy, adorava o jogo duro, adorava ser dominada, e era mesmo uma das especialidades de Luis Pi, pois dominá-la seria um prazer. Ela fingia que não queria, mas tracy ficava molhada somente de sentir luís pi lhe tocar, mas se fazia de dura, ela não queria entrar, então ele tive de a arrastar para dentro como uma cadela teimosa, e aquilo soube bem a luís, pois sentia-se bem assim, uma vez dentro da lavandaria, ela o involveu num jogo de sedução, perfeito para luís que gostava da safadeza acima de tudo, gostava de chamar nomes e ser chamado nomes também e aquilo foi espectacular, mágico, um momento único.

As Aventuras Amorosas de “Luís Pi da Maianga”

Posted in contos eróticos with tags , , , , , on Julho 22, 2009 by kellystress

gbundblackh[1]CAPÍTULO I

PORTUGUESA QUENTE

Carla, jovem portuguesa, mulata, estatura baixa, cabelos pretos, peitos lindos, muito bonita mesmo. Ela havia chegado de Portugal recentemente, e era nova na vizinhança, e por ser nova todos os rapazes estavam de olho, mas a concorrência não conseguio bater luís pi, que foi rápido o suficiente em se fazer amigo de Carla, em pouco tempo já estavam a namorar. Carla era uma mulher e tanto, amante da aventura. Luis Pi era  um hustler, não tinha na altura muitas escolhas para locais para ter relações, pois era  apologista do termo “ficou teso fode”, por isso a primeira vez que fizeram amor foi algo inesquecível, como todas as suas relações. Foi no terraço do prédio. Ela usava paco rabbane, usava uma blusa branca, e uma mini-saia creme, gostosa como só visto.

Carla gostava de sexo, ela era mesmo quente, e o sexo entre luís e Carla era intenso, ela era como ele, se estivesse excitada, tinha de sentir a o João caenche esfregando as paredes da vagina. Muitas foram as vezes que dentro da casa dela, com todo pessoal a dormir ela morrendo de tesão, com o seu namorado do seu lado, pois ficava em casa até tarde, e entraram numa sessão de sexo silencioso mais gostoso, era algo intenso no qual Pi perdia-se por completo, ela era fogosa o que mantinha Pi muito entretido. A vagina de Carla parecia ter mel, Pi não se conteve e começou uma sessão de sexo oral e ela perdia-se e cada vez mais desejava-o com todas as suas forças, e assim ele leu-lhe o pensamento e penetrou-a vezes sem conta.

Proximo Conto:

CAPÍTULO II

SIMPLESMENTE MÔNICA

ksp