Arquivo de contos eróticos

As Aventuras Amorosas de Luis Pi Capítulo VIII “O BACANAL”

Posted in contos eróticos with tags , , , , , on Agosto 22, 2009 by kellystress

gbundblackh[1]CAPÍTULO VIII

BACANAL TA ROLA

Numa sexta-feira a noite, por volta das 23:00, Luis estava pausado no (tucho) quarto de um amigo (Mateus) que era dentro de um quintal da casa dos seus pais, curtindo uns sons, e jogando futebol na playstation. Após algum tempo, Luis e seu amigo decidem ir comprar algo para beber, na senhora da esquina, na Tia Katy, que vendia cerveja, gasosa, bolacha, pastilhas enfim, mambos da banda mesmo. Ao chegar a rua, Luis e o seu amigo se deparam com Fiona, amiga de Mateus e conhecida de Luis Pi, pois já haviam trocado uns olhares em algumas ocasiões, mas sem Luis dar nenhuma importância. Fiona estava de saída, esperava pelo seu namorado que lhe iria buscar, para passarem a noite juntos, visto que ele iria viajar na manhã seguinte, e precisava carregar o seu telefone pois estava sem carga, por isso pediu a Mateus se podia fazer um compasso de espera enquanto carregava o telefone. Assim o fez, Luis e Mateus foram comprar bebidas e tal, e Fiona ficou no quarto. Como era sexta-feira optaram por comprar umas Cúcas para passar a noite. De volta ao Tucho, Fiona ainda la estava, a espera do seu namorado, que não tinha hora de chegar, enquanto Luis e Mateus bebiam e conversavam. Momentos depois aparece uma amiga de Fiona, Júlia, também uma amiga de Mateus e velha conhecida de Luis. Luis pensara, as mulheres normalmente têm mais inspiração quando estão em grupo ou acompanhada por uma amiga, pois sentem-se mais seguras, e com base nessa teoria, Luis Pi sabia que ali iria se passar uma cena fodida. Ficaram os 4 batendo um papo, e para atiçar mais as meninas começaram já a falar de sexo, e como Luis e Mateus estavam em Cúcas (granda afrodisíaco) também não maiaram, e entraram na leva, fiona e Júlia estavam deitadas na cama, era uma cama de casal, e logo depois Mateus e Luis também se deitaram, mas sempre na conversa. De repente começa chover forte e feio, aquela chuva só era o sinal de que a noite seria longa. Com a chuva começou a fazer um pouco de frio, bom pretexto para luis se tapar com um lençol que também cobria fiona, entre lençóis aí estava se passar merdas lixadas, fiona deitou-se e empinou o seu rabo para Luis, de salientar  que fiona tinha um corpo esbelto era alta com curvas, e era manequim, já Júlia mandava um cú de langa maluco. Epá já que estava mesmo ali Luis começou a passar a mão no rabo de Fiona, como viu que não havia resposta, ele logo pensou aqui ta fofo, fiona estava de vestido tipo mini-saia, e a mão malandra de Luis escalou a montanha, até chegar aos Alpes humedecidos, com uma vista esplendorosa e um aroma peculiar. A inserção dos dedos foi o 1º passo, e logo fiona se abriu todinha sem falar nada, de salientar que o quarto ficou silencioso quando as merdas começaram pois Luis também não ouvia Mateus e Júlia, mas ouvia-se a respiração e sentia os movimentos pois estavam todos na mesma cama. Depois de dedos e mais dedos, Fiona começa a excitar Luis esgotando todas as suas mudanças pois ele fazia um bom trabalho manual, mas quando atingiu a quinta mudança, luis começou uma incursão lateral, num movimento constante de 1,2,1,2, onde só a cintura é que trabalhava, Fiona toda excitada, mudou de posição e dessa vez montou o João Turbinado de Luis, e trabalhou bem na montada. Aquilo era um cenário maluco, bacanal dentro do quarto, chuva do lado de fora, e luis estava prestes a gozar e apertava os peitos de fiona, para aumentar a excitação, para puder gozar ao mesmo tempo, ela contraiu os músculos vaginais e ambos alcançaram o orgasmo juntos, e ouviu-se uma grande trovoada fora do quarto, marcando o fim daquela grande aventura, mais uma do garanhão Luís Pi.

As Aventuras Amorosas de Luís Pi da Maianga “Capítulo Quente” A Trabalhadora

Posted in contos eróticos with tags , , , , , on Agosto 15, 2009 by kellystress

gbundblackh[1]CAPÍTULO VII

A TRABALHADORA

Luís Pi sempre teve fama de bandido, apesar de ser uma pessoa normal como outra qualquer, mas o facto é que a sua forma calma, os seu olhos lindos, e as sobrancelhas bem delineadas, e o jeito com que olhava para as mulheres, davam sempre uma outra impressão as mulheres. Além disso ele possuía um corpo atlético, que era o sonho de consumo de qualquer mulher, ele sabia bem disso. Este era um dos factos mais apreciados e ao mesmo tempo o mais detestado pelas suas admiradoras, ele sabia que era fofo. Essa fama era bem conhecida pelas pessoas ao seu redor. Certa vez, saiu com amigos, foi a festa de uma namorada de um amigo, e lá avistou uma jovem que estava de tranças corridas, um corpo desenhado, cintura fina, e um belo traseiro. Luís achou a rapariga interessante, por isso começa a jogar uma conversa para a jovem, que se chamava kátia, tinha 19 anos de idade, e estava a procura de um namorado. Mas luís facilmente atraiu-a numa conversa leve, e por vezes era muito fácil se interessar por luís porque ele sabia conversar. Luís a levou para casa, e trocaram os números de telefone. Quando ele chegou a casa ela manda uma mensagem para saber se já tinha chegado a casa, por alguns minutos trocaram mensagens de texto, e luís sabia que essa já estava na rede. No dia seguinte foi busca-la à escola, foram conversar num lugar calmo e por algum tempo conversaram. Quando luís pi deixa kátia em casa, rola um beijo no carro, e esses primeiros beijos são sempre os melhores e tal.

Luís Pi era um rapaz com uma mente muito fértil, e possuía um raciocínio rápido. Naquela mesma semana, ao falar ao telefone, kátia solta assim como quem não queria nada o desejo de possuir luís, mas de uma forma muito inocente, e luís logo pensou, ok, é isso que queres esta bem. Naquela noite tinha liga dos campeões de futebol, era um jogo crítico, mas também luís queria saber como ficava aquele rabo num bom fio dental. Decisão difícil para luís, mas como o jogo tinha reposição, então estava decidido. Luís foi busca-la a escola, e não a disse para onde iam. Luís a levou para sua casa, e ela surpresa, de certo modo pois não achava que luís fosse agir tão rápido (mas no fundo querendo mesmo). Luís relaxa e senta na sala por um instante, para a fazer sentir a vontade, uma vez relaxada, luís a chama para o seu quarto. Ele se deita e começa a beijar kátia, pois luís sabia que um bom beijo revelava segredos incríveis numa mulher, luís conseguia ver através do beijo o quanto uma mulher estaria excitada, pois a boca ficava com um sabor diferente. Kátia gostava muito de calças jeans pois a ficavam muitíssimo bem. Kátia beijava luís no pescoço e colocava a sua língua na orelha de pi, algo que fazia delirar luís, que media o rabo de kátia com os seu palmo, ansioso por ver aquele rabo subir e descer no seu João turbinado.

Kátia tirou a sua calça, com a ajuda de luís, que apreciava aquele rabo e como forma de respeito beijou as duas nádegas, seguida de uma palmada. Luís introduzia os seus dedos na vagina de kátia, enquanto essa praticava sexo oral no seu João turbinado, ela sabia que a cabeça era uma parte sensível e se desdobrava nela enquanto pi se contorcia de prazer. Luís sentia a boca de kátia quente e imaginava com seria a penetração.

Luís tira a tanga de kátia e molha a sua mão com a sua boca e acaricia o clítoris de kátia. Kátia era uma rapariga que tinha a sua posição preferida, que a fazia agir como uma verdadeira malandra. Ela gostava de estar em cima pois sabia cavalgar o João, e tinha um jogo de cintura incrível, como naquela posição dominasse o pénis totalmente.

Para aquela posição Luís não teve chames, pois a rapariga sabia o que fazia, consoante ela aumenta-se a velocidade, que parecia a velocidade 5 do creu ficava difícil luís não atingir o orgasmo, mas luís tentava desviar o seu pensamento, para fora daquele quarto, ele tinha de aguentar um pouco mais. Kátia e Luís se agarravam, e a única coisa que mexia era a cintura e kátia em movimentos muito rápidos, sendo que luís não aguentou por muito mais tempo e ejaculou.

Luís tinha de retribuir tamanho gesto, e sabia que ainda havia muito por fazer. Deitados na cama, juntinhos um do outro, pausaram por uns instantes, e luís ainda duro, e pronto para outra, mas kátia achava que ainda não estava duro o suficiente, então engoliu o pénis de pi, e acariciando os seus testículos, com pi maravilhado, apalpando os seios de kátia, logo entraram num segundo ronde desta vez no famoso “doggy style” de traz, e o prazer foi ainda melhor, pois a penetração era mais intensa, sendo que kátia já sussurrava o nome de luís, e ele sussurrava de volta dizendo “chama-me nomes”, pois era algo que luís adorava, e ela “ seu cão, meu bandido, acaba comigo”, essas palavra eram como música para os ouvidos de luís, foi como dizer a palavra “ABRACADABRA”, e com aquela vagina quente, com o João turbinado, bem acesso como o braço de um praticante de culturismo, aguentou bem a doçura e não decepcionou o pi que sentiu kátia se concentrando e logo depois perdendo forças, e pi deu logo conta que ela tinha atingido o orgasmo, e pi sentiu kátia deitar-se de lado e embalar num descanso merecido pois rolou fogo entre aqueles lençóis.

k.s.p

k.s.p

As aventuras Amorosas de “Luís Pi” da Maianga – CAPÍTULO VI TENTAÇÃO ANTIGA

Posted in contos eróticos with tags , on Agosto 14, 2009 by kellystress

gbundblackh[1]CAPÍTULO VI

TENTAÇÃO ANTIGA

Marcela, antiga conhecida de Luis pi, sempre esteve interessada em luís pi, e ele nela também, chegaram a namorar mas nada tinha acontecido, mas era bastante ciumenta e olhava para Pi como um malandro de 1º  e não confiava nele. Marcela e luís sempre se tentaram, mais nunca haviam chegado ao ponto de se envolverem. Depois de muito tempo, luís pi estava brigado com a namorada, estava de certa forma desfasado, e encontra Marcela numa sala de bate papo na internet, conversam e desta vez luís combinou com Marcela e se encontraram em casa dela, com a sua filha já a dormir, luís a seduziu e ela perguntou a luís pi: “porquê que demoraste tanto?” pois há muito, que ela esperava por aquele momento, mas luís não a respondeu e começou a beijá-la, e quase morria de tão excitado que estava, eles fizeram um 69, e a tesão tornou-se mais intensa, a tenção entre eles, pareciam morrer, tavam com muita vontade de acabar com aquilo… E assim o fizeram.

Não percam o próximo conto denominado “A Trabalhadora

Capítulo VII

“Luís Pi” CAPÍTULO IV FANTASIA NA ILHA DO MUSSULO

Posted in contos eróticos with tags , , , on Julho 28, 2009 by kellystress

Luís Pi

Luís Pi

CAPÍTULO IV

FANTASIA NA ILHA DO MUSSULO

Luis pi e os amigos, foram passar o fim-de-semana na ilha do Mussulo em Luanda, e com as suas tendas e suplementos, acamparam no local de sempre. Perto deles acamparam outras pessoas, inclusive um grupo de  várias meninas. Montaram o acampamento, tomaram banho de mar, a noite fez-se uma fogueira, e os vários grupos se juntaram, um dos amigos tinha uma guitarra e todos cantavam e tal um cenário bwé porreiro. Sexta feira foi simplesmente para estudar o terreno ver quem é quem e tal. Por intermédio de um amigo, que  já estava atrás de uma rapariga, Luis pi viu que ela tinha uma amiga e pediu que o arranja-se o número de telefone.  Após troca de mensagens ela saiu da tenda. Tânia era o nome dela, alta, elegante, bonita e tal, após uma conversa e tal nada de mais, luís começou a por olho no produto, mas não era para aquela noite, o alvo estava marcado, o assalto seria no dia seguinte. No dia seguinte no sábado, troca de olhares intensa e tal, aquilo foi só esperar o anoitecer, quando isso aconteceu, Luis pi e os amigos, convidaram Tânia e as suas amigas para se juntarem a eles, começaram a beber, e a jogar conversa fora, depois de algum tempo decidiram tomar banho de mar, era noite e um bom cenário para o assalto. Dentro da água, muita brincadeira então logo luís agarra Tânia, e começa a beija-la os outros que tiveram a mesma sorte foram com as suas respectivas damas. Já exitado luís pi foi até uma casa desocupada, perto do acampamento, e com Tânia de fato de banho, um biquíni vermelho luís se maravilhou, puxou-lhe pelos cabelos, passou os dedos pela vagina dela, ela gemia de excitação, e assim afastou as pernas para facilitar a penetração…

As Aventuras Amorosas de Luís Pi – Capítulo II

Posted in contos eróticos with tags , , , , on Julho 23, 2009 by kellystress

CAPÍTULO II

gbundblackh[1]SIMPLESMENTE MÔNICA

Mônica, estudava na mesma escola que luís, ela tinha um brilho estonteante, ela era negra, usava óculos, vestia-se bem era muito elegante mesmo, mas com dois olhares caiu nas mãos de Luís Pi, este amante da aventura, foi passear com Mônica a ilha de Luanda, estacionou  o carro perto da feira, e deram  um passeio pelos arredores, e a tesão bateu em Mônica,… e Luís que não falhava essas oportunidades. Entraram para uma tenda que ali estava, aparentemente abandonada, mas o dono estava do lado de fora a dormir, la dentro havia uma cadeira de plástico, o chão era de areia e o cenário estava montado para mais uma aventura. Aquela boca suculenta que ele tanto queria, ali pronta para um beijo, e assim ele beijo-a, agarrou-a e a pôs contra si, pegando suas coxas, suas excitantes coxas, atirou-a contra a cadeira que havia lá… comeu-a todinha,  no fim a cena foi muito intensa e partiram a cadeira, tendo de reparar o dano ao respectivo dono.

Proximo Capítulo:  CAPÍTULO III

TRAÇY DOMINADA

As Aventuras Amorosas de “Luís Pi da Maianga”

Posted in contos eróticos with tags , , , , , on Julho 22, 2009 by kellystress

gbundblackh[1]CAPÍTULO I

PORTUGUESA QUENTE

Carla, jovem portuguesa, mulata, estatura baixa, cabelos pretos, peitos lindos, muito bonita mesmo. Ela havia chegado de Portugal recentemente, e era nova na vizinhança, e por ser nova todos os rapazes estavam de olho, mas a concorrência não conseguio bater luís pi, que foi rápido o suficiente em se fazer amigo de Carla, em pouco tempo já estavam a namorar. Carla era uma mulher e tanto, amante da aventura. Luis Pi era  um hustler, não tinha na altura muitas escolhas para locais para ter relações, pois era  apologista do termo “ficou teso fode”, por isso a primeira vez que fizeram amor foi algo inesquecível, como todas as suas relações. Foi no terraço do prédio. Ela usava paco rabbane, usava uma blusa branca, e uma mini-saia creme, gostosa como só visto.

Carla gostava de sexo, ela era mesmo quente, e o sexo entre luís e Carla era intenso, ela era como ele, se estivesse excitada, tinha de sentir a o João caenche esfregando as paredes da vagina. Muitas foram as vezes que dentro da casa dela, com todo pessoal a dormir ela morrendo de tesão, com o seu namorado do seu lado, pois ficava em casa até tarde, e entraram numa sessão de sexo silencioso mais gostoso, era algo intenso no qual Pi perdia-se por completo, ela era fogosa o que mantinha Pi muito entretido. A vagina de Carla parecia ter mel, Pi não se conteve e começou uma sessão de sexo oral e ela perdia-se e cada vez mais desejava-o com todas as suas forças, e assim ele leu-lhe o pensamento e penetrou-a vezes sem conta.

Proximo Conto:

CAPÍTULO II

SIMPLESMENTE MÔNICA

ksp

As Aventuras Amorosas de “Luís Pi da Maianga”

Posted in contos eróticos with tags , , , , , on Julho 22, 2009 by kellystress

gbundblackh[1]Luís Pi jovem charmoso, residente no bairro da maianga, sempre teve um bom gosto por mulheres elegantes e muito gostosas, havendo para todos os gostos.

Luís Pi, bem ele gosta de mulheres, a melhor coisa para ele é xaxar damas e claro o sexo. Luís é um rapaz aventureiro e muito namorador muito encantador e arrogante em relação as mulheres.

Luís Pi, já teve muitas namoradas, pois evita compromissos sérios, ele gosta mesmo da aventura, as suas aventuras variam consoante as suas parceiras. Para Luís Pi, não havia nada melhor do que uma boa conquista, aquela parte onde tudo se encaixa e surge a paixão e desejo por aquilo que esta diante de nós, fã de mulheres, sendo que quanto mais experiência para ele melhor, mas é claro que não tinha problema em dar umas dicas de modo a apimentar o caso.

Cada uma teve um estilo diferente, umas mais quentes, outras mais loucas. Cada capítulo destes pequenos romances significa o envolvimento com uma rapariga diferente.